Luiz Fernando Aleixo Marcondes

Home Membros Luiz Fernando Aleixo Marcondes

Cadeira nº 49
Patrono:
 Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro


Doutorando em Atividade Física e Esporte - linha de investigação em Direito Desportivo -pela Universitat de Lleida (Espanha);
Mestre em Direito Desportivo pela Universitat de Lleida (Espanha);
Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo – Autarquia Municipal;
Coordenador acadêmico e professor do curso de Pós-Graduação em Direito Desportivo do Instituto Iberoamericano de Derecho Deportivo – IIDD;
Professor convidado do curso de Pós-Graduação em Gestão do Esporte e Direito Desportivo da FBT e INEJE;
Professor convidado do curso de Pós-Graduação em Direito Desportivo da Universidade Cândido Mendes e OAB-RJ;
Professor convidado do Diplomado Internacional de Derecho Deportivo da Federación Mexicana de Derecho Deportivo y Estudios Legislativos del Deporte A.C.;
Professor convidado do curso de treinadores “Licença A” da Federación Nacional Autónoma de Fútbol de Honduras;
Autor da obra “Direitos Econômicos de Jogadores de Futebol” (Curitiba: Juruá, 2016);
Coautor da obra “Enciclopédia de Gestão, Marketing e Direito Desportivo” (Porto Alegre: INEJE, 2017);
Coautor da obra “Direito do Trabalho e Desporto – Volume II” (São Paulo: Quartier Latin, 2015);
Coautor da obra “Revista Brasileira de Direito Desportivo – Volume 23” (São Paulo: RT, 2013);
Presidente do Instituto Iberoamericano de Derecho Deportivo – IIDD;
Cofundador e conselheiro da Sociedade Brasileira de Direito Desportivo – SBDD;
Diretor de Desenvolvimento Regional da Comissão de Direito Desportivo da OAB/SP;
Presidente da Comissão de Direito Desportivo da Subseção Penha de França da OAB/SP;
Presidente da Comissão de Esporte e Lazer da Subseção Penha de França da OAB/SP;
Membro da Asociación Iberoamericana de Derecho del Trabajo y de la Seguridad Social – AIDTSS;
Presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Musculação, Fisiculturismo e Fitness – CBMFF/IFBB-Brasil;
Auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Atletismo - CBAt;
Auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Badminton - CBBd;
Auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais – CBDV;
Auditor do Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Aquática Paulista - FAP;
Auditor do Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Handebol – FPHand;
Advogado inscrito na OAB/SP;


Patrono: Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro
Nascido em Santos em 16 de dezembro de 1942, aos 16 anos foi eleito presidente da União dos estudantes Secundários Paulistanos com mais de 39.000 votos. Com 20 anos de idade, foi nomeado Oficial de Gabinete do Ministro da Educação e Cultura, Paulo de Tarso Santos, mudando-se para Brasília e participando de uma equipe que contava com nomes, entre outros, como os de Herbert José do Sousa (o Betinho), o poeta e jornalista Ferreira Gullar, e muitos outros. Na ocasião, foi nomeado Técnico em Assuntos Educacionais do MEC, cargo que ocupou por 30 anos, até se aposentar, no início dos anos 90.|

Iniciou suas atividades profissionais em 1965, quando fundou a Forma Nova Propaganda, empresa de comunicação que teve clientes como a Sharp, Gradiente, Comind, Fundação Getulio Vargas, etc. Como consequência dessa atividade, acabou por ser convidado para representar em São Paulo a Bolsa de Imóveis do Rio de Janeiro, antiga e conceituada empresa de avaliações, fundada em 1939, e dirigir sua sucursal de São Paulo por 9 anos. Em 1973, com um grupo de profissionais, fundou a EMBRAESP, da qual foi sócio e diretor até 1981. Neste ano, assumiu a direção no Brasil da Richard Ellis, a mais antiga e reputada companhia de consultoria imobiliária do mundo, sendo o primeiro diretor latino da história desta empresa, de mais de dois séculos de existência. Em 1983, assumiu a Diretoria de Patrimônio do Banespa (governo Montoro) e, em seu mandato de 4 anos, foi responsável pela reforma, implantação e construção de mais de 100 agências em todo o Brasil. Ao final de seu mandato na diretoria do banco, fundou a Adviser Consultores de Propriedades, no segundo semestre de 1986, empresa de conselhamento com atuação nacional, que preside há mais de 20 anos. Logo após, em 1987, foi convidado pelo Ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser Pereira para assumir a Chefia de seu Gabinete em Brasília, cargo que ocupou até o início de 1988.

Atuou, ainda, como conselheiro da comitiva brasileira que participou da reunião anual (1987) do FMI e do Banco Mundial, em Washington DC. Em 1988, convocado pelo Presidente do Banco Central, Fernando Milliet de Oliveira, assumiu o cargo de Diretor Administrativo do BACEN. Foi diretor da FIABCI- Federação Internacional das Profissões Imobiliárias, do ILAM - Instituto Latino Americano, do IBEAC - Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário e do CRECI- Conselho Regional dos Corretores de Imóveis.

Participou de diversas empresas e instituições como membro do Conselho Monetário Nacional, do Conselho de Administração do SERPRO – Serviço de Processamento de Dados da União, do Conselho Nacional de Turismo, da Cia City de Desenvolvimento, do Conselho Sobre Destinação Social da Política de Terras do Governo do Estado de São Paulo, do Conselho de Clientes da TAM, da Cruzada Pró-Infância e do Santos Futebol Clube por 17 anos ininterruptos. Ministrou aulas, como professor convidado, no Programa de Educação Continuada da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas. Recebeu do Presidente da República, em 1987, a Comenda da Ordem do Mérito Aeronáutico, no grau de Comendador. Em 1989, publicou o livro de poesia “Rifa de um cão sem nome” pela editora Seara Nova.

No esporte, foi conselheiro do Santos FC por 17 anos e candidato à presidência do Santos FC em 2003, tendo alcançado 40% dos votos, apesar de ter tido em julho de 2003 um enfarto e quatro paradas cardíacas. Em novembro de 2009, venceu a eleição com 62 % dos votos válidos - 1.882 votos, o maior quorum da história do clube. Recebeu a gestão do clube com grande passivo, mas foi também o mais rápido presidente campeão do Santos, feito alcançado ao conquistar o Campeonato Paulista de 2010, depois de apenas 30 partidas no total (23 pelo campeonato). Logo no começo de sua gestão, repatriou o ídolo Robinho, contratado por empréstimo junto ao Manchester City, da Inglaterra. Para obter êxito na negociação, Luis Álvaro contou com a ajuda de parceiros que, por meio de cotas, ajudaram a pagar os salários do atacante. Na sequencia, outro feito notável: liderou o clube à sua segunda conquista no ano de 2010, a Copa do Brasil, título inédito para o Santos. Desde 1968, o Santos não conquistava dois títulos no mesmo ano. Usando de sua habilidade e experiência no ramo dos negócios, Laor contraria todas as expectativas e renova por cinco anos o contrato do atacante Neymar, que vinha sendo fortemente assediado pelo Chelsea para trocar o Santos pelo clube londrino. Indicou que o esporte precisava ser pensado de forma diferente. A negociação salarial foi feita nos mesmos moldes da que já havia rendido sucesso com Robinho. Foi fundamental na conquista da Taça Libertadores de 2011, título que o clube não ganhava desde 1963. Em 15 de maio de 2014, após dois meses afastado da presidência santista, renunciou ao cargo por problemas de saúde. Disse, na carta de renúncia: "Lamento, constrangido, este ato extremo por conta do expressivo percentual de 87% dos sócios que me confiaram a reeleição, a quem peço desculpas." Morreu na madrugada de 16 de agosto de 2016. Estava internado no hospital Albert Einstein para tratamento de um tumor no aparelho digestivo. Conquistou oito títulos, sendo: Copa do Brasil: 2010, Campeonato Paulista: 2010, 2011, 2012, Copa São Paulo de Futebol Júnior: 2013, Campeonato Paulista de futebol feminino: 2010 e 2011, e Liga Futsal: 2011.