Nelson Thomaz Braga

Home Membros Nelson Thomaz Braga


Cadeira nº 28
Patrono:
João Paulo II


Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região. Bacharel em Direito pela Faculdade Brasileira de Ciências Jurídicas do Rio de Janeiro (1970). Conselheiro do CNJ de 2009 a 2011. Membro da Comissão Permanente do CNJ de Relacionamento Institucional e Comunicação; Desembargador Presidente da Sexta Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região.

Membro do Instituto Ibero-Americano de Direito do Trabalho; Membro da Academia Brasileira de Ciências Econômicas, Políticas e Sociais e da Academia Ibero-Americana de Derecho del Trabajo y Seguridad Social; Membro Titular Acadêmico da Academia Nacional de Economia, 1º Titular Imortal ocupante da Cátedra nº 56, Patrono Walter Braga; Irmão da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

Vice-Presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva; Desembargador Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (2003-2005); Juiz Vice-Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (2001-2003); Juiz Presidente da Seção Especializada em Dissídios Individuais – SEDI (1994-1996); Juiz Presidente da 8ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (1997-1999); Juiz Presidente da 5ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (1992-1994); Conselheiro da Associação Carioca de Advogados Trabalhistas do Rio de Janeiro.

Professor do Curso de Pós-Graduação em Direito do Trabalho da Faculdade Benett do Rio de Janeiro e da Faculdade Estácio de Sá; Membro do Conselho Superior da Justiça do Trabalho; Membro da Comissão do Orçamento da Justiça do Trabalho; Membro da Comissão da Defesa, Assistência e Prerrogativas na área da Justiça do Trabalho na Capital do Estado do Rio de Janeiro; Membro do Conselho Empresarial de Relações do Trabalho da Associação Comercial do Rio de Janeiro; Membro de Comissões Permanentes da Ordem dos Advogados do Brasil/RJ; Membro da Comissão de Reforma Sindical e Trabalhista do Colégio de Presidentes e Corregedores da Justiça do Trabalho; Membro da Comissão de Qualidade de Vida, formação e Aperfeiçoamento do Colégio de Presidentes e Corregedores da Justiça do Trabalho.


Patrono:
João Paulo II

(1920-2005) foi Papa da Igreja Católica Apostólica Romana. Teve papel importante para o fim do comunismo na Polônia e em vários países da Europa. Teve o terceiro maior pontificado, que iniciou em 16 de outubro de 1978 e só terminou em 2 de abril de 2005 com sua morte, permanecendo 26 anos como soberano da Cidade do Vaticano. De origem polonesa foi o único papa não italiano depois do holandês Adriano VI em 1522. Sabia falar vários idiomas. Visitou 129 países durante seu pontificado. Esteve 4 vezes no Brasil onde visitou várias cidades e reuniu multidões. Exerceu influencia para melhorar as relações entre a religião católica e outras religiões. João Paulo II (1920-2005) foi Papa da Igreja Católica Apostólica Romana.

Nasceu na pequena cidade de Wadowice na Polônia. Filho de Karol Wojtyla e de Kaczorowska, foi batizado com o nome de Karol Jósef Wojtyla. Ainda garoto, Karol demonstrou interesse pelos esportes, geralmente jogando futebol na posição de goleiro. Durante a sua adolescência, ele travou contato com a grande comunidade judaica de Wadowice e os jogos de futebol eram disputados entre os times de judeus e católicos, com Wojty?a muitas vezes jogando ao lado dos judeus. Ficou órfão aos 8 anos e perdeu seus dois irmãos mais velhos. Fez sua primeira comunhão aos 9 anos de idade. Estudou na escola Marcin Wadowita e em 1938 muda-se para a Cracóvia onde estuda na Universidade de Jaguelônica e numa escola de teatro.

Em 1964, Wojtyla assume as funções de arcebispo de Cracóvia, e em 1967, chega a cardeal. Ativo participante no Conselho Vaticano Segundo, representou igualmente a Polônia em cinco Assembleias internacionais de bispos entre 1967 e 1977. Foi eleito Papa em 16 de Outubro de 1978, sucedendo a João Paulo I. Wojtyla adotou então o nome João Paulo II. A 13 de Maio de 1981, foi atingido por um tiro e gravemente ferido durante uma tentativa de assassinato quando entrava na Praça de São Pedro, no Vaticano.

João Paulo II publicou livros de poesia e, sob o pseudônimo de Andrzej Jawien, escreveu uma peça de teatro, "A Loja do Ourives" em 1960. Os seus escritos éticos e teológicos incluem "Amor Frutuoso e Responsável" e "Sinal de Contradição", ambos publicados em 1979. A sua primeira Encíclica, "Redemptor Hominis" (Redentor dos Homens) de 1979 explica a ligação entre a redenção por Cristo e a dignidade humana. Encíclicas posteriores defendem o poder da misericórdia na vida dos homens (1980); a importância do trabalho como "forma de santificação" (1981); a posição da igreja na Europa de Leste (1985); os males do Marxismo, materialismo e ateísmo (1986); o papel da Virgem Maria como fonte da unidade Cristã (1987); os efeitos destrutivos da rivalidade das superpotências (1988); a necessidade de reconciliar o capitalismo com a justiça social (1991) e uma argumentação contra o relativismo moral (1993).

João Paulo II resistiu à secularização da igreja. Ao redefinir as responsabilidades da laicização, dos padres e das ordens religiosas, rejeitou a ordenação das mulheres e opôs-se a participação política e a manutenção de cargos políticos pelos padres. Os seus movimentos ecumênicos iniciais foram dirigidos para a Igreja Ortodoxa e para o Anglicanismo, e não para o Protestantismo Europeu. Atacado pelo Mal de Parkinson morreu aos 84 anos, no Vaticano no dia 2 de abril de 2005.